29 de set de 2008

Por ai

E depois daquele dia
A noite não cabia para ela
Seus olhos brilhavam numa constante que nem o infinito
Traduzia
Seus passos não mais incertos caminhavam
E seu corpo não mais medroso partia
Para outro nível, para outro momento
Sua euforia esboçava ao mesmo tempo desejo e realização
Indizível explicar o que se sentiu
Quando esta força a invadiu
A menina, agora mulher caminha
Em passos largos, firmes e decididos
Com a certeza de que fez aquilo que precisou
E não olhou para trás
Simplesmente seguiu seus instintos
O mais sincero de todos

2 comentários:

João Eduardo Q. C. disse...

Êita, mas como seu new job tá te fazendo bem!

Esta poesia tem que ter uma página reservada no seu livro já, agora, now!

Falar sucintamente e transbordando de poesia sobre transições etárias, e femininas, eu acho que é difícil, pois é um assunto para grandes sagas. Mas, você ó, pam! ;)

Bjs,

João Eduardo

João Eduardo Q. C. disse...

Oi, Ke!

Como minha auto-estima emergiu do lôdo, graças ao meu regime de emagrecimento, vim compartilhar esta felicidade com você.

O link pra foto é este:

http://i307.photobucket.com/albums/nn307/joao_eduardo/eu_bemmaismagro_03_10_2008.jpg

Bjs,

Do amigo João Eduardo

  © Blogger template Werd by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP