30 de dez de 2009

Aquela calça amarela

Os pensamentos e devaneios são meus
Comprei um produto
E nem ao menos olhei
Achei que daquele jeito estava bom
O produto estava bonito, parecia bem feito
Mas aos poucos começaram os defeitos de fabricação
Um furinho ali
Um furão acolá
Uma desculpa esfarrapada a cada defeito notado
Aquele peça tem seu valor
Mas talvez não mais para mim
Aquela peça até parece útil
Porém, olhando de perto
Bem de perto
Não sei se é útil a mim
Ou se eu sou útil a ela

O que eu faria?

O que eu faria se nunca mais te encontrasse a partir de hoje?
O que seria de mim?
Já temos tanto tempo assim?
Já temos medos e afins?
Já traçamos planos?
Fizemos história?
O que seria de mim?
Qual seria a história se o nunca mais chegasse?
Qual seria o fim depois daqui?
Andaria eu perdido por alguns dias
Depois não mais
Andaria procurando
Não sei se você, não sei se outro encanto
Falaria de coisas tristes
Amores impossíveis
E minha disponibilidade para trágicos desfechos
O que eu faria se nunca mais te encontrasse a partir de hoje?
Começaria tudo de novo!
Do inicio ao fim

20 de dez de 2009

4 anos

Aproximadamente quatro anos...
Este foi o tempo que demorei para esquecer o lado ruim de uma parte boa.
Passaram pessoas, passaram novas experiências, passaram muitos momentos, mas passou!
A angústia do passar momentaneamente ia e voltava.
A sensação de que nunca mais seria eu mesma era forte e insistente.
Haja terapia, haja treino, haja orai e vigiai.
Treino e força de vontade.
Haja vontade!!!!
Foi em meio a esta força de vontade que descobri o que é o amor.
Descobri o amor a mim!!
O amor próprio, a auto-estima. Comecei a me cuidar e assim me amar.
Curei e aprendi. Embora ainda batam incertezas, me curei. Estou renovada e cuidada: de corpo e mente.
Sinto-me mulher, sinto-me menina.
Menina de 31 anos (pois é, nos meus planos iniciais estaria casada e com filhos) mas o mais importante sinto-me feliz e realizada.
Não são os números que constam no tempo que vão determinar quem sou. São os tombos, as perdas, os ganhos e tudo que passei.
Não é aquele falso elogio e nem a crítica destrutiva, sou eu diante do espelho!!
É por isto que diante de um novo ciclo chego de braços abertos e coração também.
Isto é só o começo!!!!

14 de dez de 2009

Por eles

Eles torcem por mim
Vibram, choram
Se calam
Eles lamentam
Entendem
Brigam
Me devolvem ao mundo real
Eles são fortes
Doces
Ingênuos
Topam todas
Dão a cara a tapa
E me dão as mãos
Eles não dizem não
E quando dizem é por amor
Eles estão comigo também na dor
Eles aprendem e ensinam comigo
Eles me ensinam a aprender com eles
E continuam lado a lado
Todo o tempo que for necessário
Por eles eu protejo
Por eles eu agradeço
Eu perdôo
Eu me calo
Por eles eu sou a favor
Sou contra
E contrario tudo
Até mesmo a mim
Com eles eu sou assim

**Homenagem a todos os meus amigos

7 de dez de 2009

Aquele caderno

Numa folha em branco
Ela lê os mesmos rabiscos
Sim, ela encontra naquela pálida folha rabiscos que só ela entende
É tudo novo, mas os riscos os mesmos
Cada letra, cada palavra, cada minuto
Ela não entende ao certo o que faz ela repetí-los
Mas como no piloto automático, ela repete, repete, repete
Até que decide parar
Respira fundo e começa tudo de novo!
E naquele caderno de folhas brancas com rabiscos velhos
Agora ficam apenas as lembranças

1 de dez de 2009

É só um vento

É so um vento
Uma brisa
Um momento
Sei não...

É só uma sensação
É boa de fato
Mas dura enquanto tiver tato

É só uma passagem
Uma paisagem
Vista por um tempo
Que dura o tempo que for necessário

Dura enquanto tudo isto sentir
Dura enquanto tudo isto existir

  © Blogger template Werd by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP