20 de ago de 2009

São duas linhas

Uma menor, mais fina, mais ágil.
A outra embora mais velha e mais espessa, não tem tanta habilidade ou experiência
Elas vivem na mesma caixa de costura.
Uma delas tem o sonho de ser a linha que junto com os fios de ouro vestirão a princesa.
A outra aceita ser passada por qualquer peça de roupa, contanto que seja útil.

São duas linhas
Uma mais bonita
Outra menos
Na verdade as duas são lindas linhas, mas uma delas não sabe que é
Quando encontra a outra linha fica se criticando e dizendo que deveria ser melhor
- Melhor pra quem? Pensa ela mesma.
Sei la, talvez para aquele carretelzinho pequeno.
Todos gostam dele, todos o querem.

Estas duas linhas já fizeram muitas costuras juntas.
Já costuraram casacos, blusas, calças, cachecóis, meias..
Já enfeitaram bordados e lindos broches
Elas até já passaram noites e noites acordadas na gandaia

São duas linhas
E uma delas está chegando ao seu final
Não caminhou ao encontro do arco-iris
Não costurou as roupas do rei
Não fez grandes feitos
Mas decidiu parar de se costurar
Ela vivia passando por pessoas que nem conhecia e que nem tinham a ver com ela
Decidiu se aposentar da vida de linha

A outra linha, mais nova
Continua na espera dos fios de ouro
Traça planos, metas e crê que em breve será a linha mais conhecida da caixa de costura.

Enquanto isto, a linha mais velha, mais espessa, menos experiente, serve de base para aquela pipa, que voa, voa, voa...

13 de ago de 2009

Contra-mão

Tenho medo do conselho
Da mao que indica
Da palavra que agita
Da permissão da palavra sim

Estranho o objeto censurado
O cavalo empacado
E toda cor que não foi pintada
Indico ao meu tempo
O vento
Só ele sabe o que é melhor fazer

O inverno aquece a minha alma
Embora meu corpo esteja frio
O quente que sinto
Não é de mim

Do correr do seu sangue
Da razão da sua confusão
Da sua indecisão decidida
De todo e qualquer medo em vão

Tenho medo
Da permissão da palavra sim

8 de ago de 2009

Foi

Olhando de fora
O que vem de dentro
Sinto o aperto imenso no peito
Não sei se choro
Não sei se falo
Não sei por quanto
E nem ao mesmo tempo se tanto
Talvez o espaço entre nós seja assim
Apertado
Doído, mas ao mesmo tempo intenso
É por isto que sem hesitar insisto
Deste mal terei que parar
E se para isto tiver que me ausentar
De mim
Que seja assim

  © Blogger template Werd by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP