21 de fev de 2011

Alma leve me leve

Estou com a alma limpa
Lavada, passada e engomada
Minha alma leve busca outra
Tão leve ou não
Tão próxima ou não
Mas que esteja na mesma vontade que ela
Minha alma lavada
Brilhante e renovada
Não se cansa
Apenas senta um pouco para descansar
Ela pode errar, pode cair naquele conto do vigário
Mas jamais deixará de ser minha alma leve!

16 de fev de 2011

Um respiro

Foi aquele soco bem dado
Aqueles que não conseguimos nem ao menos levantar após o golpe
Foi uma ironia, uma distração, uma confusão
Foi uma falta de sorte, um golpe de ar mal recebido, uma gripe sem fundamento e propósito. Foi de repente
E por mais que isto já fosse esperado, foi inesperado!
É aquela pulguinha atrás da orelha que te avisa o tempo todo, te sinaliza, mas você diante de uma série de fatores prefere não perceber, não ouvir
É falta de tato, diria mais é falta de amor próprio
Acontece naquele dia que você menos espera, no momento mais imprevisto, exatamente no intervalo que você respira e solta o ar
A sensação volto a dizer, é de um soco na boca do estômago
Você fica sem ar, fica meio zonza e não sabe quanto tempo demora esta sensação, mas ela passa
Passa e depois que ela passa você tem a certeza que jamais acontecerá isto novamente
Até um novo soco aparecer de repente...

12 de fev de 2011

Não me deixe

Eu só vou entender se você me explicar
É impossível caminhar sem ter um destino
Sem saber onde quer chegar ou para onde está indo
Entender as entrelinhas não faz parte de mim
Saber o que significa uma ausência são tantas coisas
Não me faça querer descobrir pelos meus pensamentos o que penso ser
Meu pensamento é criativo e voa longe
Voa para lugares que até não existem
Não me deixe fora dai
Sinto-me tola
ou ingênua

Não me deixe perceber que por mais uma vez eu acreditei em vão

Não...

  © Blogger template Werd by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP