15 de fev de 2010

O aguardo do em vão

Não sei se são seus olhos
Ou parte dele que me trai
Não sei se são suas mãos
Ou seu corpo que me atrai
Sei que duvido de mim
E mais ainda de você quando o assunto é "nós"
Tentamos um jogo e não deu certo
Agora resta virar o jogo e tudo aquilo que estava escrito como regra
Não há mais regra!
Os jogadores se distraem diante de novas condições e tentam marcar o gol
O goleiro que passa o jogo inteiro aguardando sua participação frustra-se, pois nenhuma bola chega perto dele
De volta para a casa, o goleiro pensa: esperei o tempo todo para não ser acionado
Não sei se são seus olhos ou meu corpo
Não sei se é minha boca ou meu coração
Só sei que esperei o tempo todo em vão

3 de fev de 2010

Re-visão

Olhei em seus olhos
Confiei delitos e delírios
Dividi meu corpo
Meu sopro
Meu dentro

Escolhi por onde andar
Porque andar
E quem seguir...
Fui seguida
Dividida
E perdida

Apostei
Mais uma vez
E outra
Até cair
Levantei
E como um bebê aprendi a andar
Um passo de cada vez

Olhei em seus olhos novamente
Desconfiei cada delito e delírio
Escondi meu corpo
Meu sopro
Meu dentro
Que por um momento, achei que fosse seu

  © Blogger template Werd by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP