27 de jan de 2009

Os dois olhos

Nossas vistas são sensíveis
Seletivas
Momentâneas
Passageiras
Nossas vistas cegas podem ver amores medíocres em cenas de filmes românticos
Ou pessoas não tão boas como heróis
Nossas vistas nos enganam
Nos dispersam
Nos confundem
E nos fazem acreditar por um tempo
Que estamos no país das maravilhas
Nossos olhos apaixonados
Veem flores onde só há cimento
Atropelam análises e coerências
Nos tiram do chão

Nossos olhos nus
Parecem lentes de aumento
A ver de forma clara tudo aquilo que estava oculto
Sem óculos, porém muito bem orientados
Vemos tudo aquilo que era para ser
Somente um pano de chão
Simples, sujo e frio
No meio da multidão

25 de jan de 2009

Vai...

Se aquilo que senti
No dia que te conheci
Foi tudo aquilo que escolhi

Se aquilo que descobri
Depois que te conheci
Foi verdade

E se depois de tudo o que senti
Conheci
E descobri
Você ainda me espera aqui

Vai, vai esperando...

18 de jan de 2009

Sufoco de mim

Puxei o ar, mas ele não vinha
Aquela sensação de sufoco me acompanhava há alguns minutos
O gosto de não sei o que
Invandindo uma parte de mim que eu não sabia onde cabia
Puxei o ar mais uma vez e ele insistiu em me confrontar
Uma sensação desconhecida, de alguém que me conhecia muito bem
Algo estava errado e eu sabia que a resposta estava ali
Minhas mãos geladas não conseguiam perceber o calor que ali do lado vinha
Fechei os olhos e me imaginei fora dali
Naquele campo florido, me sentia em paz
Lembrei de todos os bons momentos da minha vida
E de todos os dias em que precisei acalmar minha alma
O ar chegou
Abri os olhos e entendi
O que eu precisava de verdade
Era acreditar mais em mim

13 de jan de 2009

Amanhã, hoje é ontem

Ontem doeu te ver
Doeu te esquecer
Doeu querer te ver de novo
Ontem doeu pensar que você não está aqui
Ontem meu coração até gelou quando achei que fosse você me ligando
Ontem achei que ia ser pra sempre
Achei que todos estavam nos aguardando
E que você também me queria
Mas isto tudo foi ontem
Um dia que já passou
E que mudou para hoje...
Hoje, até esqueci que tinha te visto e tentado te esquecer
Esqueci que você não está aqui
E que não me ligou
Esqueci que só tinha olhos para você
E que meu coração gelava só de pensar
Hoje até parece que ontem faz tempo...

6 de jan de 2009

Em mim

Não preciso mudar a embalagem porque não te agradou
Ou cortar o cabelo porque você me sonhou assim
Não tenho o formato que deseja, pois bem assim seja
Não vou ser pedra sabão se posso ser diamante

Não preciso provar aos outros quem sou
E sim a mim que sou tudo o que sou

Tenho muito a andar, muito a escolher
Mas tenha certeza que para eu mudar, precisa alguém merecer
Meu sorriso é assim: real
Se gostei, é sorriso na certa
Se não, é um estampado não

Não tenho manual de instruções
Sou meio assim...como dizia o poeta: sem começo nem fim

5 de jan de 2009

Alguém nem sempre é alguém

Engraçada esta vida...
Passamos por uma infinidade de pessoas
Conhecemos vários tipos, dos mais reservados aos mais expansivos
Conhecemos pessoas com máscaras e sem.
E o mais estranho de tudo é que existem pessoas que a partir do momento que aparecem em nossas vidas, acostumamos de cara.
É o jeito, a sintonia, a química, a qualidade dos pensamentos, a risada, o tom de voz e até mesmo o silêncio. Aceitamos seus pontos fracos, seus medos e até mesmo seu humor ou melhor dizendo seu mau humor.
Do anonimato se torna tema principal de sua vida, você conta os dias para reencontrar, conversar, trocar experiências e vivências.
Mas também do papel principal estas pessoas podem voltar ao anonimato.
Em segundos...
Uma caida de máscara já é o suficiente para que ela volte para ser mais um igual há tantos outros...
Engraçada esta vida...alguém que era ninguém se torna alguém para você e em poucos minutos volta a ser ninguém!

  © Blogger template Werd by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP