30 de dez de 2009

Aquela calça amarela

Os pensamentos e devaneios são meus
Comprei um produto
E nem ao menos olhei
Achei que daquele jeito estava bom
O produto estava bonito, parecia bem feito
Mas aos poucos começaram os defeitos de fabricação
Um furinho ali
Um furão acolá
Uma desculpa esfarrapada a cada defeito notado
Aquele peça tem seu valor
Mas talvez não mais para mim
Aquela peça até parece útil
Porém, olhando de perto
Bem de perto
Não sei se é útil a mim
Ou se eu sou útil a ela

O que eu faria?

O que eu faria se nunca mais te encontrasse a partir de hoje?
O que seria de mim?
Já temos tanto tempo assim?
Já temos medos e afins?
Já traçamos planos?
Fizemos história?
O que seria de mim?
Qual seria a história se o nunca mais chegasse?
Qual seria o fim depois daqui?
Andaria eu perdido por alguns dias
Depois não mais
Andaria procurando
Não sei se você, não sei se outro encanto
Falaria de coisas tristes
Amores impossíveis
E minha disponibilidade para trágicos desfechos
O que eu faria se nunca mais te encontrasse a partir de hoje?
Começaria tudo de novo!
Do inicio ao fim

20 de dez de 2009

4 anos

Aproximadamente quatro anos...
Este foi o tempo que demorei para esquecer o lado ruim de uma parte boa.
Passaram pessoas, passaram novas experiências, passaram muitos momentos, mas passou!
A angústia do passar momentaneamente ia e voltava.
A sensação de que nunca mais seria eu mesma era forte e insistente.
Haja terapia, haja treino, haja orai e vigiai.
Treino e força de vontade.
Haja vontade!!!!
Foi em meio a esta força de vontade que descobri o que é o amor.
Descobri o amor a mim!!
O amor próprio, a auto-estima. Comecei a me cuidar e assim me amar.
Curei e aprendi. Embora ainda batam incertezas, me curei. Estou renovada e cuidada: de corpo e mente.
Sinto-me mulher, sinto-me menina.
Menina de 31 anos (pois é, nos meus planos iniciais estaria casada e com filhos) mas o mais importante sinto-me feliz e realizada.
Não são os números que constam no tempo que vão determinar quem sou. São os tombos, as perdas, os ganhos e tudo que passei.
Não é aquele falso elogio e nem a crítica destrutiva, sou eu diante do espelho!!
É por isto que diante de um novo ciclo chego de braços abertos e coração também.
Isto é só o começo!!!!

14 de dez de 2009

Por eles

Eles torcem por mim
Vibram, choram
Se calam
Eles lamentam
Entendem
Brigam
Me devolvem ao mundo real
Eles são fortes
Doces
Ingênuos
Topam todas
Dão a cara a tapa
E me dão as mãos
Eles não dizem não
E quando dizem é por amor
Eles estão comigo também na dor
Eles aprendem e ensinam comigo
Eles me ensinam a aprender com eles
E continuam lado a lado
Todo o tempo que for necessário
Por eles eu protejo
Por eles eu agradeço
Eu perdôo
Eu me calo
Por eles eu sou a favor
Sou contra
E contrario tudo
Até mesmo a mim
Com eles eu sou assim

**Homenagem a todos os meus amigos

7 de dez de 2009

Aquele caderno

Numa folha em branco
Ela lê os mesmos rabiscos
Sim, ela encontra naquela pálida folha rabiscos que só ela entende
É tudo novo, mas os riscos os mesmos
Cada letra, cada palavra, cada minuto
Ela não entende ao certo o que faz ela repetí-los
Mas como no piloto automático, ela repete, repete, repete
Até que decide parar
Respira fundo e começa tudo de novo!
E naquele caderno de folhas brancas com rabiscos velhos
Agora ficam apenas as lembranças

1 de dez de 2009

É só um vento

É so um vento
Uma brisa
Um momento
Sei não...

É só uma sensação
É boa de fato
Mas dura enquanto tiver tato

É só uma passagem
Uma paisagem
Vista por um tempo
Que dura o tempo que for necessário

Dura enquanto tudo isto sentir
Dura enquanto tudo isto existir

25 de nov de 2009

Pedaços

Nossa história são retratos
Passados
Contextos antigos
Páginas viradas que não voltam

Nossa história são contos
Contos imagnários
Criados por mim
E pela tendência de ser assim
De não ter fim
De não acabar
Aquele gosto da última palavra
Aquele casaco largado no banco de trás do carro

Nossa história são retalhos
Risos seus
Sonhos meu

Nossa história sou eu
Apenas eu
Eu e minha lembrança
Nada além
Nada a mais
Nada depois

Apenas e fim

24 de nov de 2009

Mas agora não mais!

Ela não quer pensar
Analisar
Racionalizar
Encontrar motivos lógicos
Ela e suas razões
Todas elas!
Tantas, quantas!
Ela justifica, quantifica, decodifica coisas que não tem necessidade

Mas agora não mais...

Ela quer viver
Experimentar
Provar de todos os sabores e escolher o que for bom para ela
Não importa o tempo
O tempo é o hoje
E ela nunca vive o hoje

Ela vive o ontem e o amanhã
O que aconteceu ela revive e o que vai acontecer ela sofre

Mas agora não mais...

Ela quer cheirar flores, correr feito louca, beijar na chuva

Não quer perder tempo pensando naquilo que ainda nem aconteceu
Mas quer sonhar e muito!!
Ela pode sonhar o que quiser
Ela quer ser livre
Se libertar dela mesma

E sorrir, ah como ela quer sorrir

15 de nov de 2009

Sua escolha

E as promessas existem
E as palavras existem
E a falta de sinceridade existe
E tudo isto existe
E existe porque alguém em algum momento te usou, te decepcionou e te fez acreditar que falar a verdade não o fará bem
E porque esta pessoa que te decepcionou fez isto
Você acha que fazer o mesmo com outras pessoas é importante
Forma de se vingar?
Não pensa em conseqüências
Não pensa em pessoas
Não pensa na lei de causa e efeito
Vai e faz
E nós, os outros, sofremos estas conseqüências
Da nossa parte, uma escolha: fazer igual ou continuar sendo quem somos
Da sua: continuar no seu jogo e qualquer dia provar do seu próprio veneno

8 de nov de 2009

Quem?

As mesmas palavras ditas para outras pessoas
Os mesmos argumentos, fingimentos e outros afins
A fuga é o caminho mais rápido
Estar escondido numa máscara é mais fácil que aceitar a verdade
A verdade como todos dizem, dói
Estar entre todos e sentir-se sem nenhum
Estar sozinho e precisar de ao menos um
Ficar esperando a cada momento, o momento certo
E chegar a conclusão de que ele não existe
Pois o momento é sempre certo, só resta agarrá-lo
Sorrir com vontade!
E chorar também!
Quem definiu que chorar é feio?
Quem decidiu que tudo isto que eu te disse é regra?
Fuja
Mas não da sua vida e sim de tudo o que te deixa ser quem não é

5 de nov de 2009

Uma segunda opção

Todo mundo tem um plano B
Seja um segundo vestido para usar
Um segundo namorado que não foi tão importante quanto o primeiro
Uma segunda opção de viagem
Um plano na manga caso o primeiro não aconteça
O "objeto" desejado e aquele que nem tanto
Todo mundo tem um cartão não tão bonito para mandar a alguém
Umas frases feitas não tão boas para serem ditas
Um sentimento não tão bom assim
Todo mundo tem!
Todo mundo tem umas desculpas esfarrapadas
Um jeitinho para desmarcar um convite
Umas faltas não justificadas
Aquele compromisso com um amigo que pode ser adiado
O estepe do carro...

Quem é a sua segunda opção?
E para quem você é a segunda opção? Já parou para pensar?
Se não foi interessante pensar que pode ser segunda opção de alguém, valorize aquilo que tem!

27 de out de 2009

Meio assim...

Ela estava meio sem jeito e meio sem graça
Ele estava com o cabelo meio molhado, meio seco
Ela estava com o cabelo meio preso e meio solto
Ele estava parado olhando em sua direção
À medida que ela se aproximava sentia seu coração acelerar
Disseram um "oi" meio sem jeito e fizeram perguntas meio básicas
Ela tentou conter o nervoso e o rubor em seu rosto!
Ele reparou nela pela primeira vez
Sentiu seu perfume e a elogiou
Ele mal sabia que ela o notara desde o primeiro dia em que o viu, naquela sala de treinamento
Ele nem a viu, mas ela sentiu o mesmo acelerar!
Eles quase não se falam
Quase não se vêem
Quase não se tocam
Mas ela continua meio assim e meio sei lá

25 de out de 2009

E talvez, nem eu

Veja cada sorriso que está abrindo mão
E cada alma que beijou em vão
Lembre-se de todos que você vai deixar, pois eles vão envelhecer
E quando você voltar, talvez não os encontre
Suas vontades e desejos estarão lá
Para onde você está indo
Mas sua raiz e sua historia estão aqui
Onde você não quer mais ficar
Sua ausência vai ficar
Sua ausência que insiste em ser presente
Ausência que insiste de tempos em tempos bater na minha porta e dizer: voltei
Ela vai ficar

Vai, segue seu caminho, não esqueça de dar uma boa olhada para trás antes de largar tudo, pois na volta não vai achar mais as mesmas coisas.

E talvez, nem eu!

24 de out de 2009

Do outro lado

As pontes são feitas para levar alguém ou algo a algum lugar!
Esta ponte que eu vejo não me leva a lugar algum!
Ela me mostra apenas sentidos contrários querendo se encontrar e fazendo com que eu decida para onde ir.
Não quero decidir para onde tenho que ir.
Quero ir sem destino ou ordem.
Quero ir apenas porque não posso ficar parada aqui nesta ponte.
Por que ela liga duas coisas tão distintas?
Por que ela une coisas desconexas?
Um lado da ponte não quer chegar ao outro lado...
Mas ela insiste neste caminho.
E eu tenho que decidir!!
É como que alguém que me empurra para me atirar do bung jump eu vou.
Sem pensar, tendo para um lado...
Com a nítida sensação de que fiz a escolha errada!

21 de out de 2009

Sabe de uma coisa?

Ela sabe o que fazer
Ela sabe a quem dizer
Mas não sabe começar
Ela diz
Replica
Retruca
Mas não começa
Ela sabe o fim
Mas também não termina
Ela escolhe as cores, mas não pinta
Ela cria um mundo em que faz parte
Mas esquece disto
E se exclui
Ela entra, sai, bate as portas e janelas
Mas nunca sabe qual é a saída!

12 de out de 2009

Este texto é para você

Sim é para você que não conheço
E que pretendo nunca conhecer
Sua vida deve estar bem melhor do que você esperava
Aliás, você não deveria esperar nada
Pois tudo o que você fizer não será o bastante pelo que fez com seu filho
Sim, seu filho que te espera
Ele acredita que um dia você voltará para casa
Ele acredita que um dia a mãe que ele tanto ama e fala vai tirá-lo de todo mal
Mal sabe ele que é justamente ela quem o colocou no mal
É uma pena que existam pessoas como você
Mas é muito bom saber que existam crianças como ele, que ainda tem esperanças!
Seja feliz, dentro das possibilidades, pois alguém como você dificilmente poderá ser 100% feliz...terá sempre uma sombra, a sua própria consciência.

**carta para uma mãe, mãe que diferente da minha e da maioria das mães que eu conheci não respeita o filho que carregou por 9 meses. Conheci seu filho hoje e espero que Deus o proteja por toda a sua vida.

9 de out de 2009

Marcha lenta

Parecia uma noite comum.
Voltando para casa ela pensava: será que ele ainda pensa em mim?
Ela não o amava, mas sabia que algo ainda fazia com que ela o procurasse.
Seus olhos brilhavam quando se lembrava dele, mas ao mesmo tempo tinha uma tristeza sombria em seu olhar.
Naquele dia ela resolveu não ir para casa.
Passou de carro em frente a casa dele, para ver se ele aparecia na janela ou se o pegava chegando do serviço.
Ninguém apareceu.
O porteiro que anos atrás a reconhecia de longe, chamou o guardinha de rua para questioná-la do porque de sua presença.
Meio sem graça e sem jeito, disse que estava a procura de uma casa para comprar e que tinha gostado muito daquele local, inclusive da segurança de ter uma guarita para as casas, mas que já estava de saída.
Com os olhos menos brilhantes ligou seu carro e vagarosamente começou a fazer o caminho de volta...
Não olhou para trás, não chorou, não se arrependeu, apenas foi!
Foi e nunca mais voltou!

30 de set de 2009

Recebido, não dado

Queria
Um sorriso não meu
Um afago
Um afeto
Recebido, não dado
Queria um cafuné
Um carinho
Uma atenção no meu caminho
Um apoio

Cheiro de fome
Respiro de mar
Ouvido de amor
Silencio no ar

Nada disto paga
O silencio doce de quem sabe amar

18 de set de 2009

A vida é assim

Dirigir numa estrada onde a mão é dupla, os faróis não se fecham, os carros quase nunca param, exige atenção...
O carro na minha frente não me vê.
Estou em seu ponto cego.
O carro de trás quer me ultrapassar.
A mão é dupla e só existe uma via para cada lado.
Eu vejo os dois carros agora: o da frente está querendo ultrapassar o que está à sua frente e buzina muito.
Eu começo a sentir o mesmo desespero, pois os dois carros querem ultrapassar.
Começo a dar farol e buzinar descompassadamente, sem pensar.
Os motoristas da outra pista nos olham com decepção.
O nosso destino é o mesmo deles, só que eles já chegaram ao final e sabem o que nós vamos encontrar e o que teremos que enfrentar, mas nós ainda não.
No ímpeto de querermos chegar logo ao final, ultrapassamos na curva, corremos riscos, buzinamos desesperadamente, exaltamos nossas falas e acabamos discutindo com tudo e todos.
Não percebemos que todos os carros irão chegar.
Todos têm sua hora de chegar ao fim da estrada.
Correr só faz perdermos os grandes momentos da viagem.
A vida é assim!

13 de set de 2009

Até o fim

Suas rugas não dizem idade
E sim cumplicidade
Seus caminhos tortos
Seus passos em falso
Tudo isto é fato
Mas toca como flauta em meus pensamentos
Seus cabelos, já não tão castanhos
Já tão brancos
Já nem tantos
Não assustam
Me instigam
Seu modo sensato em dizer apenas o necessário
Às vezes nem o necessário
Me calam
E fazem-me observar
Ao léu
Distante
Nossas mãos já não tão lisas
Mostram que amadurecemos
Mas elas continuam a andarem juntas
Todas as manhãs pelo parque
Uma parada no banco da praça
Um beijo carinhoso no rosto
E a volta para casa
Passamos o dia juntos
E a noite também
Não tão quente como antes
Não tão criativa como fomos
Mas juntos, como planejamos

9 de set de 2009

O ponto é final.

Nem mais, nem menos
Apenas assim
De qualquer jeito
Ou a toda hora
Apenas para mim
Sem mais, nem menos
Não importa
Sua vista torta
Cai em minha direção
E se...
De alguma forma
A nossa hora
Não for agora
Por mais ou por menos
Me avise
Pois saberei
Que nestas horas
Tanto faz
Se mais ou menos

20 de ago de 2009

São duas linhas

Uma menor, mais fina, mais ágil.
A outra embora mais velha e mais espessa, não tem tanta habilidade ou experiência
Elas vivem na mesma caixa de costura.
Uma delas tem o sonho de ser a linha que junto com os fios de ouro vestirão a princesa.
A outra aceita ser passada por qualquer peça de roupa, contanto que seja útil.

São duas linhas
Uma mais bonita
Outra menos
Na verdade as duas são lindas linhas, mas uma delas não sabe que é
Quando encontra a outra linha fica se criticando e dizendo que deveria ser melhor
- Melhor pra quem? Pensa ela mesma.
Sei la, talvez para aquele carretelzinho pequeno.
Todos gostam dele, todos o querem.

Estas duas linhas já fizeram muitas costuras juntas.
Já costuraram casacos, blusas, calças, cachecóis, meias..
Já enfeitaram bordados e lindos broches
Elas até já passaram noites e noites acordadas na gandaia

São duas linhas
E uma delas está chegando ao seu final
Não caminhou ao encontro do arco-iris
Não costurou as roupas do rei
Não fez grandes feitos
Mas decidiu parar de se costurar
Ela vivia passando por pessoas que nem conhecia e que nem tinham a ver com ela
Decidiu se aposentar da vida de linha

A outra linha, mais nova
Continua na espera dos fios de ouro
Traça planos, metas e crê que em breve será a linha mais conhecida da caixa de costura.

Enquanto isto, a linha mais velha, mais espessa, menos experiente, serve de base para aquela pipa, que voa, voa, voa...

13 de ago de 2009

Contra-mão

Tenho medo do conselho
Da mao que indica
Da palavra que agita
Da permissão da palavra sim

Estranho o objeto censurado
O cavalo empacado
E toda cor que não foi pintada
Indico ao meu tempo
O vento
Só ele sabe o que é melhor fazer

O inverno aquece a minha alma
Embora meu corpo esteja frio
O quente que sinto
Não é de mim

Do correr do seu sangue
Da razão da sua confusão
Da sua indecisão decidida
De todo e qualquer medo em vão

Tenho medo
Da permissão da palavra sim

8 de ago de 2009

Foi

Olhando de fora
O que vem de dentro
Sinto o aperto imenso no peito
Não sei se choro
Não sei se falo
Não sei por quanto
E nem ao mesmo tempo se tanto
Talvez o espaço entre nós seja assim
Apertado
Doído, mas ao mesmo tempo intenso
É por isto que sem hesitar insisto
Deste mal terei que parar
E se para isto tiver que me ausentar
De mim
Que seja assim

31 de jul de 2009

Vacilos temporários

Resgatar
Reverter
Retroceder
Refazer
Corrigir
Desfazer
Tantos verbos
Tantos significados que nos levam ao mesmo lugar
Voltar atrás naquilo que se fez ou que não se fez e transformar em algo diferente
Diferente?
Depois de feito?
Não dá mais!
E por isto o negócio é não olhar para trás

28 de jul de 2009

Acordando da vida

E eu decidi voltar atrás!
Dar dois passos antes deste que estou
Resolvi respirar um pouquinho do passado...
Deixando o presente como futuro!
Remexi no meu armário
Olhei meu álbum de fotos
Te encontrei
Peguei meu caderno de anotações, te achei lá também
Fechei a porta do meu quarto e deixei aquele gostinho nostálgico tomar conta do ambiente
Cada poro meu em você!
Curti!
Senti!
Vivi o não vivido
O sofrimento remoído e soltei uma lágrima
Somente uma.
Jamais deixaria outras aparecem para você!
Da cena congelada um estalo
Voltei ao hoje.
Olhei ao redor.
Não encontro mais ninguém.
Virei para o outro lado da cama e continuei a dormir...

26 de jul de 2009

Sem tido o sentido

Abri as portas
As janelas
E o vento que esperava pela sua chance, circulou
Respirei, esperei, relaxei
Caminhei livremente
Coloquei lençóis novinhos na cama
Comprei novas roupas
Experimentei outros amores
Novos sabores
Troquei a cor do cabelo
Passei de loiro para vermelho!
Testei novas aproximações
Ouvi canções
Cantores anônimos
E timbres estranhos
Curti o novo
Larguei o velho
Sambei numa valsa
Casei com o mistério
Caminhei sem chaves e cadeados
Voltei ao ponto de partida
Sorri!
Bem vinda nova vida!

21 de jul de 2009

...

Não adianta eu querer chocolate se estou com vontade de pão de queijo!
Não posso pedir tranquilidade se comprei uma casa na avenida mais movimentada da cidade!
E nem querer que meu cabelo seja encaracolado quando nem lápis pára nele!
Não posso ver um filme em hebraico se não sei e nem imagino como é esta língua!
Se aquilo que eu quero não posso e o que posso não quero faço o que?

12 de jul de 2009

W.O

Não necessito que as pessoas me entendam ou me protejam;
Quero apenas que me conheçam!
Não quero piedade ou julgamento
Quero honestidade e se for o acaso, discernimento!
Não estou num jogo
Não tenho um time
Mas devido às conseqüências jogo sozinha
Do outro lado nunca sei qual time vem, não sei se o time joga ou se sai fora
Se é um time forte ou apenas um time de bairro
Mas mesmo não sabendo disto, estes times podem apontar cartões
Vermelhos, amarelos e se possível até apontam dedos
Apontam, porque é mais fácil apontar que assumir
Mas toda vez que apontamos um dedo a alguém, tem mais três outros que se voltam para nós e isto é fato!
Devemos ser cuidadosos quando apontar
E muito mais cuidadosos ao julgar
Eu não gosto de cartões e muito menos de dedos apontados
Times só entram para ganhar
Bem diferente da nossa vida, onde por mais tenhamos aprendido que devemos ganhar sempre, perdemos também...
Eu não gosto de jogos, não me incomodo de perder
E quanto a ganhar?
Às vezes

8 de jul de 2009

Linha tênue, quase imaginária!

Existe sempre um limite
Um ponto onde começa e onde termina
Uma hora que temos que seguir e outra que parar
Quando falar, quando calar
Descobrir o meio dos dois pólos é uma tarefa difícil
Não porque precisamos de fórmulas mágicas, mas porque dependemos de outros seres humanos
Seres humanos são pessoas complicadas: umas menos, outras mais.
O fato é que conviver e relacionar-se depende de dedicação e boa vontade.
Às vezes mais da boa vontade que dedicação...
Às vezes ajudar o próximo é apenas ouvi-lo
Para outros pode ser um insulto ouvir e não dizer absolutamente nada a ele
E em outros casos você só pode dizer até onde ele quer ouvir, depois disto você pode estar se metendo onde não é chamado
Acertar a linha que separa a educação, a preocupação à intromissão precisa de bom senso, chá de camomila e muita tolerância!
Tem momentos em que você acaba participando tanto de determinada situação que já toma ela como sua e não é
Você se envolve, se emociona, torce, parece até um filme que você quer que o mocinho fique com a mocinha e termine de vez com o bandido
Eu acho que um manual de instruções iria bem ou botões simples, mas explicativos...
Porque antes de qualquer ação ou qualquer atitude que fosse codificada como falta de educação chegasse, a legenda ou o manual instruiriam...e tudo ficaria mais fácil
Mas mesmo assim, ainda acredito na gente, nos seres humanos!
Com suas curvas, dúvidas e decepções
Com seus comprometimentos ou com a falta dele
Mesmo assim, ainda acho que somos todos pedras preciosas a serem lapidadas

5 de jul de 2009

Quanta gente

Tem gente que pensa que sabe
Tem gente que pensa que soube
Tem gente não que sabe nada
Mas diz o tempo todo “eu soube”

Tem gente que diz que quer
Tem gente que não quer, mas acha que sim
Tem gente confusa
Tem confusão que tem muita gente
E tem gente que nem parece gente

Tem gente que cansa
Tem gente que cansa a gente
Tem gente que se cansa
Eu me canso de tanta gente

Tem dias que esta gente me confunde
Tem dias que esta confusão me faz mais gente
Tem vezes que toda a escuridão é solta
E tem dia que a solidão se prende a gente

Eu não sei direito que coisa toda é esta
Só sei de uma coisa
Que tem gente à beça

30 de jun de 2009

Um ato de amor


Pode ser um segundo ato
Mas para mim é sempre o primeiro
Ainda sinto minha alma arrepiar
A respiração ofegar, assim como a primeira vez
Ainda disfarço as lágrimas que insistentes teimam em sair
Emoção!

Pode ser de novo
Outra vez
Bis
Repeteco
Quantas vezes mais for
Se é o teatro mágico
Eu vou

27 de jun de 2009

Ao meu redor

Eu olhei para trás e não te vi mais
Você havia partido
Sem ao menos me dizer um tchau
Você se foi e quis deixar para mim
Apenas as lembranças
As doces lembranças
De um doce momento

A nossa historia
São fotos
E fatos
Passados
De um tempo acabado

Agora olho para os lados
E além de não te encontrar
Não encontro mais ninguém

Você
Não tem troca
Nem preço
Nem pressa
Só tem dor

Eu perdi o meu controle
E todos os sonhos
A vida é assim

E você seguiu sem mim
E deve estar em algum outro sonho
Que não voltará mais

Pois hoje você não é mais aquela pessoa
Que partiu
E se mudou
E me mudou
E me fechou para as outras portas
E as janelas se abrem
Para um novo que eu nem sei se existe

Você se foi e quis deixar para mim
Apenas as lembranças
As doces lembranças
De um doce momento

17 de jun de 2009

É tão pouco

Agradeço pela vida
Por me dar a oportunidade de voltar
E tentar novamente
E errar novamente
Sou grata
Mas não abusa
Te respeito
Mas à medida que me respeita
Me aproximo
Mas me repilo
Pega leve
Não faça isto
Só quero seu carinho
Sua atenção
E a melhor parte do bolo, o recheio
Não quero mais o não
Não quero mais o pouco
Quero o que todo mundo tem sem pedir
Um mínimo de amor e carinho

15 de jun de 2009

Meio inteiro

Pelas partes
Pelo todo
Pelo corpo em que toco
Pelos erros e pelo amor
Pêlos e cheiros nos meus sentidos
E sentidos contrários a mim
Dizem o que fazer
Já não sei
Pelo todo que parte
Pela parte de cada todo
Se sou eu
Ou se sou você

1 de jun de 2009

Somos resistentes...

Porque temos medo de chuvas e tempestades
De altos e baixos
Pois ja vivemos tanto nos altos como nos baixos
(só que mais tempo nos baixos)
Somos resistentes porque não sabemos mais no que acreditar
E por conta disto e devido a isto
Ficamos aqui
Pensando no que poderia ter sido e não foi
Sonhando com aquilo que não se realiza porque na verdade
Só sonhamos
E não executamos
Porque olhamos da janela
Mas não abrimos o portão
Cantamos a música
Mas não a sentimos
Lemos o livro
Mas não nos envolvemos
Porque ficamos no superficial de tudo
Inclusive da nossa vida!

29 de mai de 2009

Abrir a porta para a Maria
Deixar água e ração para a Nina
Passar na farmácia e comprar meus cremes
Não esquecer de ligar para a Noemia e desmarcar a consulta ao dentista
Avisos e lembretes do outlook piscam e me convidam a sair da frente do computador
Eles dizem: não esqueça de...
E eu não quero mais me lembrar de!
Paguei o cartão de crédito?
Ai, não lembro...consulto o banco, tá pago!!!
E a mensalidade da academia?
Vence semana que vem
Não posso mostrar esta cara de derrotada no serviço
O que vão pensar de mim? Que virei a noite em cima daquele relatório?
Passa base e pó no banheiro do serviço, ninguém vê mesmo
Passei demais agora pareço palhaça!
É estilo...(tomara que ninguém perceba)
Derrubei meu copo de água no relatório que acabei de imprimir!!!!!
O mesmo que virei a noite fazendo
Meu celular avisa que é hora de tomar meu remédio
Não, é apenas complemento alimentar porque eu não tenho tempo para comer!
Não, não é nada grave, falta de tempo apenas
Desculpe, mas preciso ir para minha PÓS!
Trouxe minha tese para o coordenador?
Sim, trouxe!
Tá na pasta, em cima da minha mesa do serviço!!!!!!!!!!
- Não, eu juro que fiz! Esqueci no serviço, posso passar por email assim que chegar em casa? Por volta da meia-noite?
TRIMMMMMMM
Ah não, já? 7:00h?
Não é sábado?
TEMPO, PAUSA!!!!!!!!!

Antes, eles diziam quem eu era
O que vestia
Comia
Definiam meus passos
Subliminarmente indicavam minhas palavras, meus defeitos meu modo de usar
Eu não conhecia meu manual de instrução
Era como se estivesse com um emprestado
Alugado temporariamente
Hoje não mais
Não perco a paz e a pressa é apenas para não perder o vento que vai me acariciar a beira mar
Meus lembretes, são sonetos, cantos, amigos, vida
Meu manual, é meu e de mais ninguém!

21 de mai de 2009

Em segundos

Porque eu vou pensando em tudo aquilo que ficou para trás
E eu vou querendo vomitar palavras, desejos e amores
E gritar pro meu coração não mais doer, porque ele dói
Dói porque está vazio e o vazio dói

Mas ele não me diz o que eu preciso fazer para mudar isto tudo
Ele só bate, bate e bate e não me explica o porque

20 de mai de 2009

E...

E porque eu não sei o que fazer preciso não fazer nada.
E por não fazer nada me sinto encalacrada dentro de mim pronta a ferver e explodir como uma panela de pressão?

E como se não bastasse preciso sorrir para todos e para tudo só porque é educado e de bom tom?

E ouvir que todos dariam tudo para estar no meu lugar?
Meu lugar?
Alguém conhece ele?
Nem eu achei, como podem querê-lo?

E tenho que engolir a seco a vontade de largar tudo e correr atrás do meu sonho das letrinhas que escorregam aqui e voam para o mundo...

10 de mai de 2009

Só ela

É a que dá calor
É a que dá amor
É a que dá bronca, com dor no coração
É a que ensina com os erros dela o que não devemos fazer
A que educa
A que nem sempre acerta, mas que não desiste nunca

É aquela que muitas vezes nem precisamos de palavras
Apenas um colo
Independente da condição
Independente da força
Independente da saúde
A que nos mostra por onde começamos e o quanto temos a caminhar

Nos dá o calor, o carinho e a força necessária

É a que quando parte nos deixa uma saudade tão grande
Que não adianta ela dizer que vai partir e que não é para ficarmos tristes...
Porque por mais que saibamos que cada um de nós tem sua hora de partir, o nosso egoísmo acaba sendo maior e fazendo com que a gente esqueça por um momento que estamos na Terra apenas de passagem...

E porque o espaço preenchido por ela jamais será ocupado

É amor demais para ser possível compreender

5 de mai de 2009

Clichê

Estava lendo seu e-mail
Aquele email que me pede desculpas pelo mal que me fez
Não sei se me fez algo, nem sei se tinha algo para fazer...aliás o que você fez mesmo?
Aconteceu, assim como outros milhões de casais acontecem
Acontecem de vez em quando ou sempre, nem sei...
E sempre vai ter aquele lado que vai doer e o outro que vai sorrir
O lado que pula e o outro que se esconde
Encontrei algumas fotos também
Felizes, estáticas, nostálgicas...
Doeu! Doeu porque olhando agora já não sinto nada
E por mais que eu quisesse viver de novo já não seria mais o mesmo
Porque é o mesmo que assistir novamente um filme esperando outro fim
E porque agora o nosso fim não muda
Só não entendi o por que de tantas desculpas

29 de abr de 2009

Paguei e não levei

Importar – Do Dicionário:
1.Qualidade de importante.2. Valor. 3. Quantia. 4. Influência, consideração, autoridade, prestígio.

Eu dou valor a tudo, seja ele menor ou maior...não importa a autoridade, para mim é igual
Me importo com quem não se importa, com quem se importa pouco ou com quem nem sabe quem sou
Me importo se a porta ta aberta ou fechada
Se a cara está feliz ou amarrada
Me importo com a importância que dão para mim
Me importo sem restrições ou filtros
Sem níveis ou hierarquias, simplesmente: importo-me!
Considero, avalio e pago um preço mais alto do que o necessário!
Importo se está frio e eu fui trabalhar de regata
Se estou de bota e ela marca minhas pegadas
Se acordei com olheira ou sem
Se senti um cheiro estranho na roupa que vesti
Se meu olho está verde e normalmente é azul
Se a blusa que eu comprei não combina tanto com a calça que vesti
Minha cabeça pensa que ser importante é essencial
Essencial é se sentir importante para si

23 de abr de 2009

Sonoro

A sedução não precisa ser apenas sexual
O sexo não precisa ser o trivial
A rotina não tem que ser normal
Os normais não podem viver sem loucuras
E as loucuras não podem permanecer dentro de nós por muito tempo
Só que o tempo é relativo e dura o quanto precisa
Precisar é muito vago, posso precisar de você agora
Mas agora, voce pode não me querer
Querer como dizem, nem sempre é poder
Mas eu tenho o poder de dizer o quanto eu quero menos e o quanto eu quero mais
Mais nem sempre é muito
Muito é tudo aquilo que queremos de novo
E o novo só permanece até se tornar comum
Comum sou eu estar aqui te seduzindo por alguns minutos...

A sedução não precisa ser sexual...

21 de abr de 2009

E a cena se repetia...

E foi chegando e segurando meus cabelos...
Eu estava despida em sua frente, sem ao menos tirar uma peça de roupa.
Estava entregue
Entregue por seus passos, seus dedos e seu corpo
Um flash, uma pausa, um momento fora de mim
E fora dele também
Silêncio, movimento, soneto...
Num outro canto de outra forma ela olhava aquilo tudo e dizia: "como eu pude?"
Deste lado eu olhava e dizia: "posso mais"
Ele se encostava como se procurasse esconderijo
E eu o escondia dentro de mim
E lá dentro era tudo calmo e tranquilo
Era perfeito
Este mundo era meu
Este mundo era seu
Este mundo que é fora de todo o tempo e de todo o resto

12 de abr de 2009

Tudo igual, mas diferente

Fazer diferente é esquecer de tudo aquilo que já caminhamos, já escolhemos e começar do zero?
Não sei se do zero, mas pelo menos procurar o melhor de tudo, ver sobre outro ponto de vista. Ok parece utópico?
Sim...muitas vezes, mas sem o “ousar” jamais sabemos até onde ir!
Fazer diferente todos os dias é superar seus medos e obstáculos e começar a pensar diferente sobre as mesmas coisas.
Ousar não é se jogar "da janela do quinto andar", se fosse fácil assim, existiriam mais pessoas se jogando do que continuando a viver.
É tentar inovar o pensamento, o sentimento e a alma.
É se renovar, mas não porque o ano está acabando, ou porque agora que eu tenho um carro zero e minha vida vai melhorar, é porque vale a pena tentar.
Vale a pena se jogar em busca de um ideal...
E o ideal não é algo que o mundo ache grandioso, mas que seja grandioso para você.
Não vou listar o que pode ser, pois pode ser tanta coisa!
É tentar inovar mesmo quando tudo não faz sentido e não tem nexo.
E para isto precisamos de vontade e tempo.
Não aquele tempo entre o cinema e o jantar, entre o banho quente e a roupa que vestimos logo após.
É um tempo para nós e este tempo é o mais precioso.
Encontre seu tempo e descubra como é bom ter tempo até mesmo para não pensar sobre ele!

26 de mar de 2009

Das formas geométricas

Sabe aqueles jogos educacionais infantis que a criança tem que encaixar a peça geométrica na caixinha que tem o formato igual?
Triângulo com triângulo, círculo com círculo, retângulo com retângulo?
E a criança tenta, tenta e depois de muita dificuldade consegue o encaixe perfeito e fica toda orgulhosa pelo que conseguiu?
Pois é, muitas vezes me sinto como uma daquelas crianças que ficam insistindo em colocar a peça quadrada na lacuna triangular e ainda querer que ela caiba sem sacrifícios...mas nem sempre fico orgulhosa!
Só que no meu caso não são as peças geométricas que eu tento acomodar.
Eu sempre quero colocar as pessoas nas caixinhas que eu aprendi que existem, porém existem muito mais caixinhas do que nossa inteligência reconhece.
E se por acaso a caixinha que eu criei especificamente para determinada pessoa não serve para ela esta pessoa não serve mais para mim.
Não existe mais valor e eu simplesmente largo tudo: a caixinha e a pessoa.
Mas quem disse que só existem as minhas caixinhas?
Nem tudo tem a forma perfeita, não somos como massinha de brincar que podem ser moldadas e colocadas em qualquer caixinha.
E o grande barato da vida está mesmo ai, nesta troca de caixas e figuras, nesta mistura de formatos e cores...se tudo fosse muito igual, não haveria o complemento e por fim não haveria a flexibilidade ou inflexibilidade das pessoas.
É chato encontrar apenas quadrados quando procuro círculos, mas até onde definiram que os círculos são melhores que os quadrados?
Aprendi o que é certo e o que é errado e levo tão a sério que esqueço da liberdade de expressão e por que não a liberdade geométrica?

Temos que aprender de uma vez que nem tudo é tão quadrado como se parece e que nem todas as formas são conhecidas por nós e para isto existem uma palavrinha mágica: humildade!

23 de mar de 2009

A dor é minha, mas a culpa é sua

As pessoas camuflam suas dores. Fingem que nada aconteceu.
Ninguém quer saber o que aconteceu ou se aconteceu.
A dor é sua e ninguém mais sabe. É feio sofrer, é cafona chorar, pega mal...
"Não posso demonstrar fragilidade, o que vão pensar no meu serviço? Na minha casa? Na academia? Ou onde quer que seja?"
Não é nobre ou fino se sentir mal, isto é coisa de gente fraca.

O sentimento foi banalizado.
As pessoas se banalizaram.

O mundo se tornou: "ado, ado, ado...cada um no seu quadrado"

Que quadrado mais estranho é este que não permite conversas (somente as superficiais), que não permite telefonemas (somente para fofocas), que não dá atenção (a menos que seja algo vantajoso a alguém), que não ouve ao próximo e nem ao certo sabe quem é o próximo?
Então por que não endereçar a dor?
Por que não dizer a dor é minha sim, mas a culpa é sua.
Sua por não ter dito o que devia na hora certa.
Ou por ter permanecido na minha vida tempo suficiente para eu gostar e coragem insuficiente para contar que na verdade só estava passando um temporada e que o nosso tempo já tinha acabado?
Ou então por se omitir!!!
A culpa é de quem falhou, de quem não soube ouvir ou de quem não sabe amar.
Como alguém pode nos magoar e eu não podemos dizer nada?
Eu não podemos falar - eiii voce me magoou!
Não podemos questionar?
Ficamos no vácuo da dor e da omissão de outrém?
Temos que engolir a seco?
Só porque isto é normal?
Porque a normalidade hoje em dia é simplesmente passar por cima dos outros?

Porque estamos acostumados a isto e sabe como é né? É melhor deixar para lá do que se indispor...

Se for assim, prefiro me indispor com o outro do que passar anos doente indispondo-me comigo!

19 de mar de 2009

Contagem

Tantos...
Quantos
Muitos, vários
Por um somente
Em mente
Na minha
Ou sua?

Unicamente
Apenas
Para mim
Sim

17 de mar de 2009

Sem tinta

O papel é branco, novinho
Pronto para ser escrito
Não tem vícios
Não tem histórias
Não tem passado
É liso e vazio
Para ser preenchido

Mas veio a chuva e molhou
Passou o Sol e queimou
E por fim o vento que o levou...

Custava esperar pelo menos eu escrever?

14 de mar de 2009

O elo ainda é mistério

Difícil descrever
Pois nem sei quem é você
Sua essência apareceu aqui em mim
Mas o elo ainda é mistério
E o motivo?
...

Cada detalhe
Vai se construindo
Com o tempo
Com o vento
E com a ausência
Que fez da nossa amizade, intensidade

Verdade seja dita
Esta historia é meio esquisita
Em meio à multidão
Sobressaímos na erupção

12 de mar de 2009

Os olhos dos outros

Para mim pode ser claro ou escuro. Não importa, desde que me olhe nos olhos.

Para mim tem que ser sincero, não importa que não seja nos olhos.

É, pensando bem, olhos tímidos que pouco me encaram, também me seduzem!

Os olhos profundos me deixam sem jeito e não me fazem pensar

Mas não é a sedução que me encanta agora. É o que os olhos dos outros veem.

Eles veem aquilo o que eu não posso alcançar, nem mesmo imaginar, mas mesmo assim tento...

Eu sempre tento!

Porque tudo aquilo que eu não vejo, eu imagino. É como um mundo paralelo...

Talvez não seja paralelo, mas com toda certeza não é o meu mundo.

Porque meu mundo só os meus olhos podem ver.

E eles sim é que sabem me dizer o que os olhos dos outros vêem.

Talvez eles me enganem, talvez me alertem, mas o fato é que meus olhos sempre me dizem algo...

E me dizem com tal intensidade que eu nao consigo deixar de senti-los

Eles me envolvem e me olham sem julgamentos ou críticas

E os olhos dos outros?

Me seduzem, me encantam, me sugam e me desvendam.

Me descobrem no seu mundo, no mundo dos olhos dos outros.

----------------
Texto feito por olhos meus e dos outros.
Minha e da Mari (http://temferias.blogspot.com/).

1 de mar de 2009

Na terra

Meus pés estão presos na terra
Por mais que eu queira voar não consigo
Algo me avisa e grita dentro de mim que não adianta correr atrás das velhas borboletas
Pois elas não estão lá
Elas só caminham por onde o sino toca
E por onde o vento diz sim
Tentei voar, eu juro, mas não consigo
Por mais que a viagem seja pequena, meus pés estão presos à terra
Tentei impedir com que eles afundassem, mas agora é tarde
Meu nível de lucidez subiu demais

Quero voar
Um dia quem sabe
Quando souber menos e viver mais

27 de fev de 2009

Selo! Eba! O primeiro a gente nunca esquece!

Pessoal
É a primeira vez que eu recebo um selo da blogosfera e confesso ter ficado MUITO FELIZ!
Primeiro porque quem me indicou foi a Quel do Matutando (http://quandotoinspirada.blogspot.com) que acompanha este blog desde quando ele era um simples neném!
E em segundo porque hoje recebi outra indicação deste mesmo selinho pelo João (http://eletronicjonny.blogspot.com/) que é outro querido que me acompanha me deixando mais convencida ainda!!!
Obrigada aos dois!

Eis as regras:
1. Exiba a imagem do selo “Olha Que Blog Maneiro” que você acabou de ganhar!
2. Poste o link do blog que te indicou.
3. Indique 10 blogs de sua preferência.
4. Avise seus indicados.
5. Publique as regras.
6. Confira se os blogs indicados repassaram o selo e as regras.
7. Envie sua foto ou de um(a) amigo(a) para olhaquemaneiro@gmail.com, juntamente com os 10 links dos blogs indicados para verificação.Caso os blogs tenham repassado o selo e as regras corretamente, dentro de alguns dias você receberá 1 caricatura em P&B.
*Nem todas serão cumpridas, mas o que vale é o selo!
Meus indicados são:
1-Blig do Balbino
2-Blog da Grazinha
3-Eletronic Jonny
4-Da Janela
5-Frase de MSN
6-Legenda
7-Minha terapeuta está de férias
8-Arte, papel & Madeira Artesanato

25 de fev de 2009

vulneravelmente s.u.a

Você invadiu minha alma, tornou-a vulnerável
Percorreu em cada espaço de mim
Sem pedir licença ou qualquer outra permissão
Envolveu meu corpo e todos meus pensamentos
Confundiu todos eles
Misturou tudo e mostrou seus ingredientes
Poucos, limitados e de validade expirada
Te deixei ali e segui
Ao provar novos sabores
Estremeci
Nenhum deles foi um pedaço do que te senti

12 de fev de 2009

Vim

Foi assim que vim
Não coloquei sapatos
Não troquei as meias
E nem ao menos penteei o cabelo
Vim de qualquer jeito
Sem me ajeitar
Ou pensar em badalar
Vim nua
De sentidos, mistérios ou segredos
Vim nua
De desejos, respeitos e pudores
Vim tua
Para todo o sempre
Vim

10 de fev de 2009

Neste dia

Nossos rostos mal se lembravam
Mal se tocaram
Mas estavam lá
Na lembrança
Nossas bocas que por frações de segundos se encontraram
Tentavam lembrar dos seus gostos
Nossos corpos não se conheciam e queriam se ver
Com tão pouco
O muito aconteceu
Uma sensação estranha até envergonhada
De alguém que já se viu por ai, mas que não permaneceu
Dias, poucos
Mas com vontade tornaram-se intermináveis
E toda vez que chega perto deste dia
Renovo toda aquela sensação
Toda a euforia
E a realização

27 de jan de 2009

Os dois olhos

Nossas vistas são sensíveis
Seletivas
Momentâneas
Passageiras
Nossas vistas cegas podem ver amores medíocres em cenas de filmes românticos
Ou pessoas não tão boas como heróis
Nossas vistas nos enganam
Nos dispersam
Nos confundem
E nos fazem acreditar por um tempo
Que estamos no país das maravilhas
Nossos olhos apaixonados
Veem flores onde só há cimento
Atropelam análises e coerências
Nos tiram do chão

Nossos olhos nus
Parecem lentes de aumento
A ver de forma clara tudo aquilo que estava oculto
Sem óculos, porém muito bem orientados
Vemos tudo aquilo que era para ser
Somente um pano de chão
Simples, sujo e frio
No meio da multidão

25 de jan de 2009

Vai...

Se aquilo que senti
No dia que te conheci
Foi tudo aquilo que escolhi

Se aquilo que descobri
Depois que te conheci
Foi verdade

E se depois de tudo o que senti
Conheci
E descobri
Você ainda me espera aqui

Vai, vai esperando...

18 de jan de 2009

Sufoco de mim

Puxei o ar, mas ele não vinha
Aquela sensação de sufoco me acompanhava há alguns minutos
O gosto de não sei o que
Invandindo uma parte de mim que eu não sabia onde cabia
Puxei o ar mais uma vez e ele insistiu em me confrontar
Uma sensação desconhecida, de alguém que me conhecia muito bem
Algo estava errado e eu sabia que a resposta estava ali
Minhas mãos geladas não conseguiam perceber o calor que ali do lado vinha
Fechei os olhos e me imaginei fora dali
Naquele campo florido, me sentia em paz
Lembrei de todos os bons momentos da minha vida
E de todos os dias em que precisei acalmar minha alma
O ar chegou
Abri os olhos e entendi
O que eu precisava de verdade
Era acreditar mais em mim

13 de jan de 2009

Amanhã, hoje é ontem

Ontem doeu te ver
Doeu te esquecer
Doeu querer te ver de novo
Ontem doeu pensar que você não está aqui
Ontem meu coração até gelou quando achei que fosse você me ligando
Ontem achei que ia ser pra sempre
Achei que todos estavam nos aguardando
E que você também me queria
Mas isto tudo foi ontem
Um dia que já passou
E que mudou para hoje...
Hoje, até esqueci que tinha te visto e tentado te esquecer
Esqueci que você não está aqui
E que não me ligou
Esqueci que só tinha olhos para você
E que meu coração gelava só de pensar
Hoje até parece que ontem faz tempo...

6 de jan de 2009

Em mim

Não preciso mudar a embalagem porque não te agradou
Ou cortar o cabelo porque você me sonhou assim
Não tenho o formato que deseja, pois bem assim seja
Não vou ser pedra sabão se posso ser diamante

Não preciso provar aos outros quem sou
E sim a mim que sou tudo o que sou

Tenho muito a andar, muito a escolher
Mas tenha certeza que para eu mudar, precisa alguém merecer
Meu sorriso é assim: real
Se gostei, é sorriso na certa
Se não, é um estampado não

Não tenho manual de instruções
Sou meio assim...como dizia o poeta: sem começo nem fim

5 de jan de 2009

Alguém nem sempre é alguém

Engraçada esta vida...
Passamos por uma infinidade de pessoas
Conhecemos vários tipos, dos mais reservados aos mais expansivos
Conhecemos pessoas com máscaras e sem.
E o mais estranho de tudo é que existem pessoas que a partir do momento que aparecem em nossas vidas, acostumamos de cara.
É o jeito, a sintonia, a química, a qualidade dos pensamentos, a risada, o tom de voz e até mesmo o silêncio. Aceitamos seus pontos fracos, seus medos e até mesmo seu humor ou melhor dizendo seu mau humor.
Do anonimato se torna tema principal de sua vida, você conta os dias para reencontrar, conversar, trocar experiências e vivências.
Mas também do papel principal estas pessoas podem voltar ao anonimato.
Em segundos...
Uma caida de máscara já é o suficiente para que ela volte para ser mais um igual há tantos outros...
Engraçada esta vida...alguém que era ninguém se torna alguém para você e em poucos minutos volta a ser ninguém!

  © Blogger template Werd by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP