30 de set de 2009

Recebido, não dado

Queria
Um sorriso não meu
Um afago
Um afeto
Recebido, não dado
Queria um cafuné
Um carinho
Uma atenção no meu caminho
Um apoio

Cheiro de fome
Respiro de mar
Ouvido de amor
Silencio no ar

Nada disto paga
O silencio doce de quem sabe amar

18 de set de 2009

A vida é assim

Dirigir numa estrada onde a mão é dupla, os faróis não se fecham, os carros quase nunca param, exige atenção...
O carro na minha frente não me vê.
Estou em seu ponto cego.
O carro de trás quer me ultrapassar.
A mão é dupla e só existe uma via para cada lado.
Eu vejo os dois carros agora: o da frente está querendo ultrapassar o que está à sua frente e buzina muito.
Eu começo a sentir o mesmo desespero, pois os dois carros querem ultrapassar.
Começo a dar farol e buzinar descompassadamente, sem pensar.
Os motoristas da outra pista nos olham com decepção.
O nosso destino é o mesmo deles, só que eles já chegaram ao final e sabem o que nós vamos encontrar e o que teremos que enfrentar, mas nós ainda não.
No ímpeto de querermos chegar logo ao final, ultrapassamos na curva, corremos riscos, buzinamos desesperadamente, exaltamos nossas falas e acabamos discutindo com tudo e todos.
Não percebemos que todos os carros irão chegar.
Todos têm sua hora de chegar ao fim da estrada.
Correr só faz perdermos os grandes momentos da viagem.
A vida é assim!

13 de set de 2009

Até o fim

Suas rugas não dizem idade
E sim cumplicidade
Seus caminhos tortos
Seus passos em falso
Tudo isto é fato
Mas toca como flauta em meus pensamentos
Seus cabelos, já não tão castanhos
Já tão brancos
Já nem tantos
Não assustam
Me instigam
Seu modo sensato em dizer apenas o necessário
Às vezes nem o necessário
Me calam
E fazem-me observar
Ao léu
Distante
Nossas mãos já não tão lisas
Mostram que amadurecemos
Mas elas continuam a andarem juntas
Todas as manhãs pelo parque
Uma parada no banco da praça
Um beijo carinhoso no rosto
E a volta para casa
Passamos o dia juntos
E a noite também
Não tão quente como antes
Não tão criativa como fomos
Mas juntos, como planejamos

9 de set de 2009

O ponto é final.

Nem mais, nem menos
Apenas assim
De qualquer jeito
Ou a toda hora
Apenas para mim
Sem mais, nem menos
Não importa
Sua vista torta
Cai em minha direção
E se...
De alguma forma
A nossa hora
Não for agora
Por mais ou por menos
Me avise
Pois saberei
Que nestas horas
Tanto faz
Se mais ou menos

  © Blogger template Werd by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP