14 de dez de 2007

A impunidade veste caras...

Há alguns anos atrás meu carro foi roubado.
Levaram o carro, mais de 30 CDs originais, o meu celular entre outros itens.
Além do susto (por ser de mão armada) levaram um pouquinho da minha segurança de viver em SP.
Comprei outro carro.
Outro dia, meu pai foi enganado no golpe do carro quebrado.
Disseram que a peça estava quebrada e que o seguro não cobria, ele não sabendo do que realmente se tratava pagou aos caras o valor da peça (peça esta que nunca quebrou)...
Levaram um pouquinho da confiança que meu pai deposita nas pessoas.
No ano passado, levaram meu som do carro...precisaram cortar os fios da bateria, furar a porta do carro e arrancar um pedaço do painel, tudo isto para levar o som e vendê-lo por R$ 5,00.
Levaram economia de meses.
Uma blusa nova que comprei foi manchada pela moça que trabalha em casa, fui questiona-la e ela disse que eu havia comprado com defeito. Não sabia que cândida era considerada defeito de fábrica.
Acho que sua dignidade está valendo menos do que deveria.
Um senhor parou-me na rua para pedir ajuda na compra de seus remédios, não tinha dinheiro naquele dia e acabei não contribuindo para sua saúde.
Faz quatro anos que este mesmo senhor pede dinheiro com a mesma receita que já está suja e amassada.
O respeito ao próximo ficou longe da casa daquele senhor.
Outro dia um cara me convidou para sair.
Achei um ato estranho vindo daquele tipo de cara que finge ser o "bonzão", mas que a gente vê de cara o quanto falta para acreditar em si.
Ele fingiu que não era com ele quando mandei e-mail confirmando o convite.
Sei quem perdeu. Podia ter ficado brava, chateada ou magoada, mas agradeci e até ri: um cara destes não respeita nem a si, como ia respeitar a mim?
Meu pai caiu em mais um golpe: o do sequestro...saiu correndo sem saber onde estava para depositar o valor que os caras queriam por minha causa...
Não levaram dinheiro algum, mas meu pai está com medo de andar nas ruas!

A impunidade não tem cor, não tem dia, não veste uma roupa específica.
A impunidade vive aqui, ali, na sua rua, na sua casa, não tem endereço.
Você não precisa participar dela se não quiser é só fazer sua parte...relevando em alguns casos, rindo de outros, não contribuindo em mais alguns e sendo o oposto de todos estes casos que contei.
Para fazer isto, é simples, basta ser humano!

k.c.c

3 comentários:

Alexandre disse...

Puxa, até pensei que tinha desistido de escrever, fazia tempo! Que bom que retomou! Beijos!

JOE disse...

Poxa... Conheço um cara que foi convidado pra sair, infelizmente no dia do compromisso ele foi acometido por uma caganeira dos diabos, teve que sair do trabalho e voltar pra casa pra não poluir o ambiente coorporativo, já parou pra pensar que esse cara pode estar com caganeira até agora??
Bem isso não importa! Ele acredita em si mesmo, nunca disse que era o bonzão e sabe exatamente o que NÃO VAI querer em sua vida...
Sem ressentimentos Ké acho que ele só não queria ficar peidando do seu lado, ou seja respeita mais a você do que a ele mesmo, qualquer dia conto a história dele no meu blog... O dia chuvoso que o motoboy cagou na calça.

TE ADORO
grande beijo

Lú disse...

Ke,

Eu amo seus textos, sua emoção, seu sentimento...entro dentro das histórias, tento absorver coisas importantes...realmente vc é uma pessoa que me faz bem sem saber!!!
Que Deus continue a iluminar seus pensamentos e que eles sejam repletos de energia para que seus amigos continuem a prestigiar a magia de contos!!!

te ADORO muito
pra sempre,

sua amiga espiritual Lú

  © Blogger template Werd by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP