15 de jul de 2008

Um alguém (mal)criado

Eu viajei
Fui para outro planeta
E te busquei
Procurei todos os meus velhos amores
E te construi
Te igualei em alguns detalhes
Te melhorei em outros
Fiz uma lista
de tudo o que eu queria
E assim, surgiu você
Um você meio programado

Meio enfeitiçado
Determinado

E bagunçado de tantos outros que eu já tive
Uma mistura meio que claustrofóbica de todos eles
Um déjà vu


E por isto te destruí...

3 comentários:

Quel disse...

Oi, Kê!
Eu venho sempre aqui porque amo ler esses teus poemas de amor moderno! Esse, em especial, adorei, o final é muito surpreendente.

Ah, guardei sim o teu comentário, está lá esperando pra postagem de aniver.

Beijão!!!

João Eduardo Q. C. disse...

Minha nossa senhora dos extra-terrestres, confessa Ke, onde você escondeu o picadinho do frank-humanóide?

(Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...)

Besos,

João

Em tempo: a Quel tem razão, seus poemas são mudernus pra caramba. Arrasas com eles!

disse...

Bom vocês dois são os visitantes VIP mais assíduos que tenho e mais bonzinhos comigo!

Bjs aos dois (Quel e Jão)rs

  © Blogger template Werd by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP